Tempo de leitura é de aproximadamente minutos

Brasil: uma potência em energia renovável


Quando o assunto é energia, a escassez hídrica parece dominar a pauta, mas há uma luz no fim do túnel dessa crise toda, e ela é renovável. Metade da energia elétrica produzida no Brasil vem de fontes renováveis, segundo dados do Ministério de Minas e Energia. A geração de energia eólica, que provém do vento, e solar, proveniente da luz e calor do sol, vem ganhando muito destaque neste cenário. Além de outras soluções para aproveitamento energético nas empresas. Capacidade para se tornar uma potência em energia renovável, o país tem de sobra.

Energia solar 

A produção de energia solar representa 2% da matriz energética do Brasil, mas o crescimento dessa fonte tem sido a passos largos. Nos últimos três anos, o crescimento da energia solar centralizada (gerada por grandes usinas) foi de 200%, enquanto que a solar distribuída (pequenas centrais de geração) passou de 2.000%.

Segundo o Ministério de Minas e Energia, em 2020, em plena pandemia, a capacidade instalada em energia solar fotovoltaica cresceu 66% no país. O resultado é reflexo de incentivos, como a eliminação de impostos de importação para equipamentos de energia solar.

Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – INPE demonstram que o Brasil pode gerar 5 trilhões de megawatts por ano só a partir da matriz solar, cujo crescimento foi de quase 70% somente em 2021. Isso representa nada menos do que quatro vezes mais do que uma usina hidrelétrica sereia capaz de produzir no mesmo período, sem falar na economia de até 95% que a fonte solar pode garantir aos consumidores.

Energia eólica

Segundo informações do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), a energia eólica representa 10,9% da matriz elétrica brasileira atualmente, e as perspectivas apontam para que esse percentual ultrapasse os 13% até o final de 2025. A Região Nordeste é destaque nessa produção. Em um único dia, a média inédita de produção chegou a 11.399 MW, suficiente para abastecer toda a Região Nordeste durante 24 horas.

No começo deste mês, o sertão paraibano recebeu mais um investimento bilionário no setor. O empreendimento permitirá a geração de 242MW, o que equivale ao consumo de 700 mil famílias durante um ano e evitaria a emissão, pelo mesmo período, cerca de 208 mil toneladas de gás carbônico na atmosfera.

Desperdício que vira energia

Apesar das boas notícias no setor de energia limpa, o Brasil ainda conta com incentivos muito abaixo do potencial de geração que o país tem, e a necessidade de mais investimentos se mostrou urgente diante da crise de chuvas que resultou numa diminuição de 10% na produção de energia hidrelétrica e exigiu um aumento de mesma ordem na produção de energia termelétrica, mais cara e poluente.

Nesse contexto, as empresas e a indústria precisam apostar em medidas que reduzam custos com energia, evitando desperdício e operações pouco sustentáveis. Peça-chave da Prosumir, a Turbina Redutora de Pressão (TRP) se mostrou uma aliada nessa tarefa porque gera energia renovável a partir do desperdício em forma de calor, reduzindo emissões de C02.

A TRP combina desempenho e sustentabilidade, garantindo redução nos custos de energia de até 10%. Essa característica se alinha ao propósito de responsabilidade com o momento de crise do país e com os compromissos internacionais de redução de emissão de gases do efeito estufa.

Enquanto ainda não se tem um cenário que aponte para uma substituição da matriz do sistema energético ou ao menos se reduza a dependência das hidrelétricas, adotar medidas simples ajuda a diminuir custos, danos ambientais e amplia cuidados para uma produção limpa e eficaz. 

 





Desenvolvido por uma equipe loucamente criativa   

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo.

Ei você!

Não vá embora ainda.

Não encontrou o que procurava?

Nos chame agora no WhatsApp e tire suas dúvidas!

Fale pelo WhatsApp